Vitamina D e depressão: como a suplementação alivia sintomas?

Protagonizando discussões e estudos mundo afora, a vitamina D tem aparecido com maior frequência para provar a que veio. Como forte aliada no combate de doenças graves, talvez você nem imagine o quão relevante é a relação entre vitamina D e depressão.

Por diversas vezes eu abordei o assunto vitamina D aqui no blog, e desta vez desejo fazer um paralelo importante.

Você sabia que a suplementação de vitamina D tem total relevância sobre os quadros de transtornos depressivos?

De posse dessa informação, intenciono esclarecer informações importantes acerca do assunto e se você deseja me acompanhar no raciocínio, lhe convido a seguir com a leitura até o final.

Neste artigo você será contextualizado sobre a vitamina D, compreenderá a relação da mesma com a depressão e entenderá o papel da suplementação neste cenário.

Um elemento importantíssimo chamado vitamina D

Ao longo da sua história, esse que é um hormônio esteroide, acabou ganhando o nome de vitamina D. Contudo, a sua denominação é o ponto menos relevante dos aspectos que rodeiam esse elemento importantíssimo para a saúde humana.

Disto isto, é necessário reforçar que a vitamina D atua diretamente na regulação do sistema imunológico, impedindo que o mesmo agrida o próprio indivíduo resultando em doenças graves, como autismo, diabetes e cânceres.

Além disso, a manutenção dos níveis de vitamina D adequados ao organismo humano tem relação direta com a prevenção de doenças ósseas e inflamações sistêmicas, como faringite, bronquite outras “ites”.

À vista disso, adiciono a informação de que a principal fonte natural de vitamina D é o “bem e velho” sol. É muito difícil encontrá-la nos alimentos, portanto se faz necessário tomar sol e, na maioria das vezes, suplementar esse riquíssimo elemento.

O sol sempre esteve presente na vida da humanidade.

Então, meus Amigos e Amigas, devemos questionar se ele é realmente tão prejudicial como a indústria farmacêutica afirma por aí. Ou se existem motivações comerciais por trás de tais afirmações.

Vitamina D e depressão: qual a relação?

Posto que você compreendeu a influência que a vitamina D tem sobre a saúde dos indivíduos, quero relacioná-la com a depressão, tema deste artigo.

Como se não bastassem todos os benefícios que vimos até este ponto da leitura, vitamina D e depressão também estão conectadas.

A depressão é um transtorno que atinge muitas pessoas e esse número cresce a cada ano que passa. Suas consequências são extremamente desgastantes para o indivíduo, levando-o de episódios roteiros de oscilações de humor até estados graves de sofrimento e flagelo.

Diversos fatores levam o indivíduo a desenvolver um quadro de transtorno depressivo e, existem estudos que identificam a insuficiência de vitamina D neste cenário.

À vista disso, as pesquisas relacionadas a suplementação de vitamina D para aliviar os sintomas da depressão ganham notoriedade e passam a evidenciar a ação, extraordinariamente eficiente, deste hormônio esteroide sobre uma das doenças mais avassaladoras do século.

Você também pode gostar de ler: Vitamina D e doenças autoimunes: entenda a relação

Suplementação de vitamina D alivia os sintomas da depressão

A checagem dos níveis de vitamina D não pode ser preterida pelos profissionais da área médica, nem mesmo quando se fala em depressão.

Essa deveria ser uma prática comum dentro dos consultórios médicos, assim como, estar aliada a uma investigação efetiva sobre o histórico do indivíduo com relação a saúde e estilo de vida.

Uma vez que a insuficiência de vitamina D é evidente, se faz necessário que haja uma avaliação relacionada à suplementação, maneira mais eficiente de elevar os níveis de vitamina D nos indivíduos carentes. 

Um estudo observou o comportamento de pacientes depressivos e insuficientes de vitamina D após suplementar por injeção intramuscular doses de 150.000 ou 300.000 UI. O estudo durou 3 meses e confirmou a evolução positiva dos indivíduos adultos com relação a depressão.

Contudo, toda e qualquer iniciativa de suplementação deve ser avaliada pelo médico especialista e realizada de acordo com a singularidade do indivíduo. Somente o profissional poderá indicar as formas e quantidades a serem aplicadas na suplementação de vitamina D.

Como está a sua vitamina D?

Apesar da popularidade que a vitamina D ganhou nos últimos tempos, ainda é grande o número de pessoas que desconhece a sua magnitude na manutenção de uma vida longa e saudável.

De posse das informações que relacionei acima, é hora de questionar o seu médico sobre como está a sua vitamina D, sendo isso ainda mais importante caso esteja diante de um quadro de transtorno depressivo.

A mudança que desejamos ver na nossa saúde começa com cada um de nós.

Leia mais sobre o assunto: A importância da vitamina D no tratamento do autismo

Para acompanhar meus conteúdos em vídeo, se inscreva no meu Canal do Youtube e me siga nas redes sociais.

Próximo postRead more articles