Inflamação crônica subclínica: uma ameaça silenciosa

Compartilhe

Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
inflamação crônica subclínica

Você conhece os perigos da inflamação crônica subclínica?

Essa palavra pode parecer complicada e, provavelmente, você nunca ouviu falar sobre o assunto. Acontece que todos os dias nosso organismo passa por diversas agressões. Má alimentação, estresse, poluentes, entre outros.

Todos esses fatores afetam negativamente a sua longevidade sem que você perceba.

Continue até o final do artigo para saber o que é inflamação crônica subclínica.

Uma inflamação silenciosa

A principal característica dessa condição está na completa dissociação entre sinais e sintomas. A pessoa vive como se a sua saúde estivesse 100% em dia. No entanto, essa inflamação crônica é responsável por gerar as citocinas pró-inflamatórias.

Falo de proteínas capazes de desencadear reações no sistema imunológico que podem danificar qualquer órgão do corpo humano.

Os órgãos mais vulneráveis a esse processo são as artérias, o intestino, as articulações, os sistemas hormonais e os hormônios. Todos esses sistemas são atacados por anos a fio sem que o organismo expresse sintoma algum.

A inflamação crônica subclínica é especialmente preocupante porque em 55% dos casos ocasiona em morte súbita. Sem que o indivíduo esboce quaisquer sintomas, ele simplesmente manifesta um mal, como o infarto do miocárdio.

Essa é uma situação que tem menos a ver com o colesterol e mais com a inflamação crônica subclínica. Afinal, para que o colesterol fique acumulado pelos vasos sanguíneos, é preciso que exista uma inflamação no organismo. Diferente, o colesterol simplesmente circula livre pelo corpo.

Leia também: 5 hábitos para envelhecer com saúde

O conceito de inflam-envelhecimento

As diversas doenças responsáveis pelo declínio da qualidade de vida, que erroneamente sempre foram associadas ao envelhecimento, hoje são amplamente estudadas pela medicina.

Tais manifestações são, na verdade, relacionadas a uma base inflamatória. Começam e terminam com a inflamação crônica subclínica. Felizmente, estamos em uma era onde contamos com recursos para mensurar, quantificar e hierarquizar os marcadores envolvidos nesse processo.

Ao identificar a manifestação desses sinais silenciosos, é possível intervir na vida do indivíduo e reverter a situação. Esse diagnóstico é fundamental para evitar doenças ou mesmo a morte súbita.

Eu espero que este artigo seja útil a você. Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do YouTube.

Até a próxima!

Deixe uma resposta