Qual a importância do hormônio ocitocina?

Talvez você não imagine o quanto a ocitocina afeta na sua qualidade de vida. Esse hormônio, que é importantíssimo para a vida humana, merece nossa atenção e apreço. Por este motivo, no artigo que segue, trago mais detalhes sobre a importância do hormônio ocitocina.

Por diversas vezes eu falei aqui no blog e nas minhas redes sociais que somos movidos pela nossa orquestra hormonal, que por sua vez, precisa trabalhar em harmonia para que o corpo humano siga saudável e vigoroso.

Na pauta de hoje, está um hormônio extremamente relevante para a vida humana em aspectos que estão relacionados com a felicidade e o prazer: a ocitocina.

À vista disso, esse é um hormônio que merece nossa atenção e demanda um conhecimento apurado sobre sua existência e função.

Sendo assim, se você deseja descobrir as minuciosidades da ocitocina, continue com a leitura até o final. Nas próximas linhas você poderá tirar dúvidas sobre o que é esse hormônio, qual é a importância do hormônio ocitocina no organismo e quais são seus impactos na vida humana.

O que é a ocitocina?

A ocitocina é um peptídeo produzido no hipotálamo e armazenado na hipófise posterior, também conhecida como neuro hipófise.

Costumo dizer que esse é um hormônio que afeta a vida humana do início ao fim, pois ele está presente na condução do trabalho de parto por meio das contrações intra uterinas, além de afetar na escolha do parceiro, na afetividade e nas relações sexuais.

A ocitocina é uma molécula mágica, como mágicos são os hormônios. 

Isto posto, é importante saber que a ocitocina está diretamente relacionada com o comportamento emocional dos indivíduos e a forma como eles se mantém engajados com a vida.

Leia mais: Quais os sintomas da deficiência hormonal no corpo?

Qual é a importância do hormônio ocitocina?

A ocitocina é um hormônio que provoca um profundo estímulo parassimpático aumentando a capacidade afetiva natural dos seres humanos.

Sendo assim, a capacidade de socialização é resultado da ação da ocitocina. 

Indivíduos portadores de algumas condições comportamentais e neurológicas como transtornos do déficit de atenção, hiperatividade, autismo, esquizofrenia e outras debilidades ligadas ao sistema neurológico, são condutores de níveis baixíssimos de ocitocina.

Existem estudos mostrando que dentre esses indivíduos portadores das comorbidades neurológicas, a suplementação de ocitocina melhora drasticamente as manifestações advindas dessas doenças. 

Ademais, a ocitocina tem uma relação muito interessante com a cognição, influenciando na memória e na capacidade de processamento neural agindo na córtex frontal e no hipocampo, áreas do cérebro responsáveis pela qualidade do pensamento e pela cognição, respectivamente.

Impacto dos baixos níveis de ocitocina

Em homens e mulheres, a importância do hormônio ocitocina se manifesta fundamentalmente na condução da atividade sexual, no desejo sexual e principalmente, no estabelecimento do orgamo.

Vale destacar que a dependência da ocitocina para o desempenho sexual não difere em níveis conforme o sexo, ou seja, ela é igual em homens e mulheres.

Além disso, a ocitocina age sobre sistemas de controle anti-inflamatório. Como um hormônio anti-inflamatório ela tem um papel fundamental na captação de iodo pelos órgãos captadores, principalmente tireoide, mamas femininas e próstata. Desta forma, por meio da ocitocina é possível aumentar a captação de iodo para esses sistemas.

A ocitocina é um hormônio muito importante na composição hormonal estando totalmente relacionado com a qualidade de vida. Sua atuação direta, interfere na expressão emocional dos indivíduos, aumentando sua capacidade sócio-afetiva, promovendo relações mais saudáveis e duradouras.

Indivíduos que, subitamente, mudam seu comportamento e passam a ter um maior grau de agressividade, tendência a evitar contato ou relações interpessoais e sociais, podem estar com uma manifestação eminente e corrigível de deficiência de ocitocina.

Sendo assim, deve-se observar esse padrão.

Hormônios vitais

Ainda é possível encontrar, nos dias de hoje, pessoas e profissionais da área da saúde que encaram os hormônios com receio. Contudo, tais percepções não passam de falta de conhecimento sobre esses elementos, que fazem parte da nossa vida desde a gestação.

Gosto de dizer que a natureza jamais iria nos dotar com a capacidade de produzirmos substâncias que fossem destinadas a trazer prejuízos a nossa saúde. A visão de que os hormônios engordam, causam câncer e outras coisas neste sentido, não passam de pontos de vista ultrapassados e que precisam ser deixados no passado.

Todos precisamos entender que a vida sem hormônios é uma vida que padece sem qualidade

Perceba o exemplo da ocitocina, protagonista deste artigo, sendo ela uma molécula importante na promoção de relações interpessoais mais felizes e duradouras.

Portanto, antes de finalizarmos, se faz necessário reforçar que os hormônios trabalham a favor da vida.

Para conhecer mais sobre outros hormônios vitais, acesse meu Canal no Youtube e confira a série Hormônios em Pauta. Aproveite e se inscreva no canal para não perder os vídeos novos.

Você também pode gostar de ler: O que é longevidade saudável e por que isso interessa a você

Recolher >>