Quais as funções do cortisol no organismo?

O estresse existe em nossas vidas desde sempre e tem papel fundamental no que diz respeito a nossa proteção. Entretanto, ele precisa ser controlado e essa é uma das funções do cortisol no organismo, assunto do artigo de hoje.

Compondo a orquestra hormonal do corpo humano, o cortisol é um dos elementos responsáveis pela nossa adaptação aos estímulos do meio externo.

É através dele que se pode reagir positivamente ao estresse a que somos submetidos no dia a dia.

Contudo, a adoção de rotinas pouco saudáveis, tem afetado a ação do cortisol no organismo e as suas funções acabam sendo prejudicadas, o que acarreta uma série de outras complicações.

Para entender mais sobre este hormônio, quais são as funções do cortisol no organismo e sobre o fenômeno chamado hipocortisolismo, continue nesta leitura até o final.

Comecemos entendo o que é o cortisol.

O que é o cortisol?

O cortisol é um hormônio produzido na córtex supra renal e é de extrema importância para os seres humanos considerando que ele é responsável por recrutar energia durante situações de estresse.

Ou seja, o cortisol adapta o corpo humano ao estresse e permite com que ele responda de forma bem sucedida a qualquer situação que provoque ameaça a sua integridade.

A grande preocupação por trás do cortisol diz respeito aos estilos de vida atuais e a forma como as pessoas escolhem viver, seja voluntária ou involuntariamente. 

Talvez até sem perceber, muitas pessoas estão provocando uma sobrecarga de estresse acelerando o processo de envelhecimento do organismo.

Vamos entender porque isso acontece.

Quais são as funções do cortisol no organismo?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre esse hormônio, é fácil entender as funções do cortisol no organismo.

É comum encontrarmos pessoas se queixando sobre a “falta de tempo” ou a “correria do dia a dia” e isso tem total relação com a função do cortisol no corpo humano.

A má gestão do tempo, a escassez de atividades prazerosas, o desrespeito com os ciclos circadianos, ou seja, ir dormir de madrugada ou praticar exercícios físicos nos momentos em que o corpo está se preparando para repousar, despertam os níveis de estresse no organismo, sendo ele cumulativo ao longo dos anos.

Ou seja, a todo momento o organismo segue recrutando energia para enfrentar as situações de estresse a que nos submetemos, sem ter o devido tempo de recuperação. 

Com isso, a supra renal está em constante ação liberando o cortisol na corrente sanguínea.

O que acontece é que com o passar do tempo o corpo vai perdendo gradualmente a sua plasticidade de elevar e baixar o cortisol a cada vez que o indivíduo se encontra estressado ou calmo.

E com pessoas predispostas a não mudar seus estilos de vida, não mudar suas formas de encarar as prioridades da vida, se mantendo em constante estado de estresse, o corpo não consegue manter a produção crônica de cortisol e passa a experimentar a fase mais crítica desse processo que é uma redução gradual da produção de cortisol.

Sendo assim, as funções do cortisol no organismo passam a ficar comprometidas podendo evoluir para um quadro conhecido como hipocortisolismo.

Você também pode gostar de ler: Entenda o que é hipocortisolismo

Hipocortisolismo e seus cuidados

O hipocortisolismo está ligado a produção diária de cortisol em um nível supra fisiológico. Ou seja, uma redução na produção de cortisol resultado de uma vida repleta de hábitos pouco saudáveis.

O indivíduo que apresenta um estado catabólico de hipocortisolismo passa por uma desregulação do eixo hipofisário hipotalâmico adrenal, que na prática significa uma aceleração nos processos de envelhecimento, causando também, uma série de outras patologias degenerativas.

Desta forma, pessoas que apresentam doenças como, aumento da resistência à insulina, obesidade e lipogênese podem estar passando por um quadro de hipocortisolismo.

Então, o hipocortisolismo é um estado extremamente importante, comum e pouco reconhecido dentro do universo da medicina convencional. O indivíduo portador de deficiência de cortisol, pode apresentar sinais de problemas em qualquer órgão ou sistema do seu corpo.

Os hormônios estão em pauta nos dias de hoje

Nos dias de hoje, ainda se encontram muito profissionais que dão pouca atenção a orquestra hormonal. 

E sem fazer uma investigação regular dos níveis hormonais não se pode identificar fenômenos como o hipocortisolismo, causador de tanta doenças graves.

Portanto, nós, profissionais da saúde, precisamos tornar a pesquisa hormonal tão recorrente quanto a solicitação de um hemograma ou de níveis de colesterol. Só assim, será possível controlar a oscilação hormonal e indicar um tratamento individualizado de suplementação, em casos de deficiência hormonal.

Com isso, se pode promover uma melhora na qualidade de vida dos pacientes reduzindo o surgimento de doenças graves e, também, inibindo o envelhecimento precoce.

Se você se interessa por este assunto, assista o vídeo que está no meu Canal do Youtube, da série Hormônios em Pauta.

Aproveita e se inscreva para não perder nenhum vídeo novo.

Recolher >>