Iodo: para que serve e como obtê-lo

Compartilhe

Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook

Afinal, para que serve o iodo?

Esse mineral essencial para a saúde humana está presente naturalmente no solo e na água do mar. 

No entanto, o estilo de vida moderno faz com que cada vez mais pessoas tenham deficiência de iodo, o que ocasiona uma vasta lista de prejuízos ao bem-estar e a longevidade da população. 

Neste artigo explicamos para que serve o iodo e como obter os níveis necessários para a manutenção da saúde. 

Siga a leitura e saiba mais. 

Iodo: para que serve? Entenda a função do mineral

Nos últimos 80 anos, esforços mundiais foram feitos para eliminar a deficiência de iodo. Ainda assim observamos que um terço da população apresenta risco de deficiência do mineral.

Os dados preocupam especialistas, pois o iodo tem diversas funções importantes para o organismo humano. 

Em geral, a falta de iodo está altamente atrelada às doenças relacionadas ao hipotireoidismo. À medida que os níveis de iodo do corpo caem, tal quadro pode se desenvolver, visto que o mineral é essencial para a produção do hormônio tireoidiano. Atualmente, referências apontam que a deficiência de iodo é a causa mais comum de hipotireoidismo em todo o mundo. 

O iodo serve como uma matéria-prima para o organismo produzir duas moléculas fundamentais em nosso corpo, que são a Tiroxina – T4 e também a Tri-iodotironina – T3.

Não é possível produzir tais substâncias sem o aporte adequado de iodo. No entanto, como o estilo de vida moderno impossibilita a absorção dos níveis adequados do mineral, verificamos muitas pessoas com distúrbios de tireoide, cistos, nódulos e diversas outras questões que são consequência da intoxicação crônica por halogênios.

Dessa forma, é um equívoco relacionar a carência de iodo exclusivamente à tireoide, visto que a sua deficiência está atrelada a uma lista extensa de patologias. 

O iodo é o elemento mineral mais importante para as sinapses do DNA (o epicentro da atividade cromossômica) desde o início da meiose, através do desenvolvimento fetal e durante a infância e idade adulta. É o combustível que alimenta a tireoide e, portanto, toda a atividade metabólica do corpo.

A carência de iodo afeta, por exemplo, a retina, próstata, mucosa gástrica e o sistema imunológico.

O mineral também é reconhecido por prevenir diabetes, problemas cardíacos e infartos. Um estudo publicado no AHA Journals indicou que a deficiência de iodo colaborou para um aumento no risco de eventos de doença coronariana entre adultos saudáveis ​​de baixo risco nos Estudos Unidos.  

Além disso, de acordo com a American Thyroid Association, a falta de iodo está especialmente atrelada a problemas relacionados ao período de gravidez ou amamentação

A deficiência grave de iodo na mãe biológica pode estar associada a abortos, natimortos, partos prematuros e anomalias congênitas no feto. Filhos de mães com deficiência severa de iodo durante a gravidez podem ter deficiência intelectual e problemas de crescimento, audição e fala. 

Dessa forma, a deficiência de iodo é a causa evitável mais comum de deficiência intelectual no mundo. 

Em resumo:

  • O iodo serve para prevenir problemas relacionados à gravidez, como abortos, prematuridade ou anomalias congênitas, bem como deficiências intelectuais no bebê;
  • A ingestão correta de iodo previne doenças coronarianas como diabetes, problemas cardíacos e infartos;
  • O iodo contribui para a prevenção de distúrbios de tireoide, cistos, nódulos.   

Como obter níveis adequados de iodo

Como vimos até aqui, a carência de iodo pode provocar uma lista extensa de patologias. 

Por mais que o mineral seja encontrado naturalmente, o estilo de vida moderno impossibilita a absorção dos níveis adequados.

O iodo sofre em seu sistema de captação intracelular uma competição entre os elementos chamados halogênios, como o Cloro, Bromo e o Flúor, os quais penetram pelo mesmo sistema co-transportador e, assim, as células trabalham captando os elementos em maior concentração.

Como estamos altamente expostos aos halogênios citados em nossa rotina, é inviável a manutenção de níveis ótimos de iodo exclusivamente através da alimentação.

Para regular o iodo no organismo, é necessário fornecer a quantidade adequada e garantir a absorção. É por isso que a suplementação é uma terapia altamente eficiente. 

Em um primeiro momento, o organismo precisa de quantidade a mais de iodo para que possa competir com outros elementos a serem absorvidos.

No entanto, a dosagem adequada só poderá ser indicada através da consulta com um médico especializado em hormonologia. Busque auxílio de profissionais e jamais pratique a auto suplementação. 

Além disso, buscar o auxílio de nutricionistas para balancear a alimentação e evitar o consumo de farináceos como pães e bolos é altamente benéfico. As farinhas disponíveis no mercado são repletas de Bromo, um elemento tóxico ao organismo, que prejudica ainda mais a absorção de iodo. 

Ficou com alguma dúvida da função do iodo? Comente! 

 

Deixe uma resposta