Qual é o impacto do intestino no quadro depressivo?

Compartilhe

Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
intestino no quadro depressivo

Você já ouviu sobre o impacto do intestino no quadro depressivo?

A verdade é que a saúde de todo o organismo está conectada ao intestino. Afinal, a maior parte das células de defesa diante de vírus e bactérias de perfis invasores encontra-se na microbiota intestinal.

Essa microbiota, quando rica e bem povoada pelas bactérias de boa qualidade, tem o poder inclusive de reequilibrar as nossas emoções.

Não é por acaso que o intestino é considerado o “segundo cérebro”. São cerca de 100 trilhões de bactérias em sua estrutura. Tamanha quantidade e complexidade de micro-organismos dão um importante papel a esse órgão.

Hoje, aliás, a própria medicina já está passando a considerar o intestino como o primeiro cérebro. Quer saber o porquê e qual o impacto do intestino no quadro depressivo? Continue até o final deste artigo.

A depressão como epidemia

A depressão, em 2020, será considerada a doença mais incapacitante do mundo. Isso significa que a maior parte dos afastamentos do trabalho por motivo médico terá a depressão como a razão para tal.

Esse cenário é ainda mais preocupante porque temos faixas etárias que não costumavam sofrer com a doença há alguns anos. Atualmente, temos não apenas boa parte das pessoas em idade produtiva com quadro depressivo, mas também cada vez mais jovens em fase escolar e mesmo em idade de adentrar o mercado de trabalho.

Há quem aponte as mudanças do cotidiano como principais causas da depressão. O imediatismo, a ansiedade, a velocidade, uso de redes sociais… 

No entanto, nossos hábitos também influenciam amplamente nessa situação. Isso inclui a alimentação, cada vez mais artificial desde o início da vida e repleta de agrotóxicos.

Assim, antes da prescrição de medicamentos que levem à alteração da química cerebral do depressivo, é preciso investigar a saúde do indivíduo. Principalmente a saúde intestinal.

Leia também: Será que os antidepressivos são eficazes?

A influência do intestino na saúde emocional

A microbiota intestinal é a responsável por degradar os nutrientes originados dos alimentos, formando o pH ideal para a conversão de uma substância chamada 5 hidroxitriptofano em serotonina. Isso quando está equilibrada.

No entanto, quando o indivíduo apresenta uma disbiose intestinal, ocorre uma suspensão dessa conversão. Em vez disso, o 5 hidroxitriptofano transforma-se em ácido linolênico.

Essa mudança causa a queda da produção e circulação da serotonina pelo organismo, originando distúrbios comportamentais e emocionais.

Assim, mudanças súbitas de humor e de personalidade podem estar centralizadas no intestino.

Qualquer ínfimo desequilíbrio no intestino tem o poder de desregular órgãos à distância. É por isso que exames específicos devem ser aplicados antes de qualquer diagnóstico de depressão.

Duas condições específicas devem ser investigadas: a disbiose intestinal e a hiperpermeabilidade intestinal. Avaliações laboratoriais já podem detectar esses quadros.

Dessa forma, é possível poupar uma imensa quantidade de recursos e medicamentos que não vão atuar diretamente na causa da depressão, apenas nos seus efeitos.

Isso tudo gerando efeitos colaterais e tornando o paciente um refém de remédios por longos anos.

Eu espero que este artigo esclareça a você sobre o impacto do intestino no quadro depressivo.

Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do YouTube.

Deixe uma resposta