O perigo dos anticoncepcionais para o organismo feminino

Você, mulher, já pensou sobre o perigo dos anticoncepcionais para sua fisiologia? As evidências sobre os problemas das pílulas hormonais contraceptivas transbordam tanto na ciência quanto em relatos de usuárias.

Basta uma passada pelas redes sociais para ler mulheres que sofreram problemas com trombose, doenças hepáticas, entre outras adversidades devido ao uso da pílula.

Ao redor do mundo, a estimativa é que 100 milhões de mulheres usem anticoncepcionais. Um medicamento que é consumido de forma contínua por esse expressivo número de pessoas merece o olhar atento da medicina e da ciência.

Os efeitos nocivos tão alardeados por muitas mulheres pela internet acaba por se confirmar em diversos estudos. Hoje, trago uma pesquisa que relaciona o anticoncepcional ao aumento do câncer de mama.

Leia também: Açúcar e infertilidade feminina: um alerta

O estudo e os perigos do anticoncepcional

Pesquisadores da Universidade de Copenhagen realizaram um estudo a fim de analisar a incidência de câncer em 1,8 milhão de mulheres com idade entre 15 e 49 anos de idade. Ficou comprovado que as mulheres usuárias da pílula anticoncepcional tinham mais chances de desenvolver tumores nas mamas.

Em paralelo a outros estudos que apontam para a mesma direção, não há o que contestar. Só podemos concluir que tais hormônios sintéticos contidos nos contraceptivos alteram a expressão epigenética de receptores mamários proliferativos.

Assim, as incidências de atipias e carcinogênese mamária aumentam muito. O risco de sofrer com a doença é proporcional ao tempo de uso.

Como resolver essa questão?

São muitas mulheres fazendo uso dos contraceptivos orais ao redor do mundo. E o pior: cada vez mais cedo. Ao analisar os efeitos desse remédio por meio de estudos e relatos de usuárias, vemos que a lista de desserviços à saúde é imensa.

É preciso mais conscientização por parte de médicos e pacientes. Cada mulher deve ser analisada individualmente e, assim, deve receber a prescrição de um método contraceptivo conforme a sua necessidade e a sua saúde.

A preferência sempre deveria ser por métodos não hormonais. Dispositivos intra-uterinos de cobre e o uso de camisinha são algumas das alternativas contra o perigo dos anticoncepcionais.

Eu espero que este artigo seja capaz de sensibilizar profissionais da saúde e mulheres sobre os efeitos adversos das pílulas contraceptivas orais no organismo feminino.

Para mais conteúdos como este, inscreva-se em meu canal do YouTube e siga meu perfil do Instagram.

Até a próxima!

Recolher >>