Meditação e qualidade do sono

Compartilhe

Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
meditação-e-qualidade-do-sono

Por mais simples que possa parecer, um dos elementos essenciais à qualidade de vida e ao bom funcionamento do cérebro é o sono. Hoje em dia, cresce o número de pessoas em busca de formas para melhorar este aspecto da vida. Portanto, meditação e qualidade do sono são o foco deste artigo.

É nas horas de descanso que o corpo se regenera e o ciclo circadiano é desencadeado, ativando a produção de hormônios essenciais à homeostase (equilíbrio fisiológico). 

Deste modo, noites mal dormidas podem impactar a saúde severamente.

Muito se fala sobre a falta de sono ou insônia. Entretanto, a qualidade do sono é um assunto tão importante quanto a quantidade. Dormir as horas recomendadas, mas não usufruir de um sono regenerador pode ser o motivo de diversas patologias que surgem ao longo do tempo.

Neste aspecto, tem-se estudado mais sobre a qualidade do sono com o objetivo de descobrir seus efeitos sobre a saúde e de que forma ela pode ser melhorada.

Desta forma, a meditação entrou no radar dos estudiosos do sono. 

Portanto, no conteúdo de hoje você entenderá a relação entre meditação e qualidade do sono, quando se fala em qualidade de vida.

Antes de dar o primeiro bocejo, leia até o final para tirar todas as suas dúvidas.

Os benefícios do sono

Os benefícios de uma boa noite de sono são inúmeros. 

Olhando para os efeitos físicos externos tem-se um indivíduo descansado, disposto, com energia renovada e pronto para viver um novo dia com determinação.

O sono é um processo eficiente de regeneração do corpo humano.

Já no âmbito da saúde vital, o sono de qualidade e na quantidade certa, previne doenças graves como obesidade, hipertensão, diabetes, falta de memória e depressão.

Durante o sono, nosso corpo continua trabalhando para manter os sistemas imunológico, endócrino e neurológico em equilíbrio. Tais sistemas são fundamentais na prevenção das doenças citadas acima.

E diante de um quadro de insônia? 

Bem, antes de recorrer aos fármacos, uma alternativa interessante pode ser incluir práticas de atividades físicas e meditação na rotina.

Meditação e qualidade do sono

Uma revisão sistemática de 18 estudos conduzidos com um total de 1654 participantes identificou que a prática de meditação de atenção plena foi capaz de melhorar significativamente a qualidade do sono daqueles submetidos ao programa.

Embora mais aprofundamentos sejam necessários, a conclusão da análise já aponta que se trata de uma alternativa benéfica no tratamento de distúrbios do sono.

Mas por que isso acontece?

A prática da meditação tem a capacidade de desacelerar os pensamentos, aqueles que normalmente ficam pipocando na cabeça quando se deita para dormir.

Com as técnicas de relaxamento e foco aplicadas na meditação, chega-se a um estado ideal para o sono revigorante.

Ao voltar sua atenção para o momento presente, sem se preocupar com o passado ou futuro, por meio da meditação, tem-se uma oportunidade singular de explorar níveis elevados de descanso e repouso.

E para meditar, basta começar. Um dia de cada vez.

Leia mais sobre o assunto: Cérebro e meditação: um hábito, inúmeros benefícios

Dicas práticas para dormir melhor

Felizmente algumas boas práticas podem ser utilizadas para conduzir a pessoa a uma noite de sono de qualidade, além da meditação.

Observe e coloque em prática o que estiver ao seu alcance:

  • Mantenha o silêncio: prefira ambientes silenciosos ou com pouco barulho para dormir;
  • Pratique exercício regularmente: fazer exercícios aumenta o gasto de energia e consequentemente, aumenta a necessidade de descanso. Evite se exercitar depois das 21 horas;
  • Leia antes de dormir: o recomendado é que a pessoa deite na cama somente quando estiver com sono. Contudo, ela pode aproveitar este momento para ler com uma luz mais fraca para entrar em sintonia com o sono;
  • Respeite o horário de dormir e acordar: busque manter uma rotina diária de sono, indo dormir e acordando sempre no mesmo horário. Ao despertar, levante da cama e inicie seu dia;
  • Evite a luz da TV e celulares: a partir de determinado horário, deixe a TV e o celular de lado. A luz que emana desses equipamentos deixa o cérebro desperto.

Além das dicas acima a meditação é forte aliada no combate a falta de sono, como vimos anteriormente. 

Sendo assim, meditação e qualidade do sono andam de mãos dadas rumo a uma vida mais tranquila e saudável.

Qualidade versus quantidade do sono

Dormir com qualidade é indispensável ao bom funcionamento do cérebro, além de ser essencial ao equilíbrio do corpo.

De pouco adianta dormir as horas necessárias se a pessoa acaba tendo uma noite agitada e desconfortável fazendo com que desperte a todo momento.

A quantidade do sono precisa estar aliada a qualidade.

E para isso, faz-se uso de técnicas e hábitos saudáveis que ajudem a alcançar o sono ideal.

Agora que você aprendeu um pouco mais sobre meditação e qualidade do sono, chegou a hora de aplicar no seu dia a dia e usufruir de noites de sono ainda mais eficientes para sua saúde.


Você também pode gostar de ler: Sono e envelhecimento: entenda porque dormir mal é prejudicial

Deixe uma resposta