Laxantes para constipação: seriam as melhores opções?

Compartilhe

Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
constipação e laxante

Frente aos casos de intestino preso, é muito comum que as pessoas recorram aos laxantes para aliviar esse problema.

No entanto, poucos compreendem os fatores que levam à constipação intestinal. 

Laxantes são medicamentos, logo, além de contarem com ação apenas imediata, não agem nas causas do problema. E o pior: podem contar com efeitos colaterais e atrapalhar o que poderia ser a solução real para a constipação intestinal.

Os problemas da tireoide

É importante pontuar que motilidade do trânsito intestinal depende de toda a musculatura que envolve o intestino e coordena a atividade peristáltica.

Tais mecanismos são os principais responsáveis pela formação do bolo alimentar e sua correta eliminação. A coordenação desse processo é feita a partir do equilíbrio de dois principais hormônios: a serotonina e a melatonina.

O ponto relevante é que 90% da melatonina produzida no corpo humano é feita pelo INTESTINO e não pelo CÉREBRO. Portanto, a disbiose intestinal pode ser um poderosíssimo fator de inibição da produção gástrica e intestinal.

Além disso, a matéria-prima a partir da qual o corpo produz melatonina é a mesma utilizada para a produção de serotonina. Portanto, a deficiência de determinados probióticos e elementos como magnésio, vitaminas do complexo B, selênio e zinco, afetam a produção de ambos os hormônios.

Para agravar ainda mais o quadro, o desequilíbrio na relação serotonina-melatonina dificulta a DISPOSIÇÃO de ENERGIA (ATP) necessária para a movimentação peristáltica, essencial para a formação do bolo fecal.

A deficiência do hormônio da tireoide

Há, ainda, outro fator que merece muita atenção.

Geralmente, os exames laboratoriais não são capazes de apontar a deficiência do T3 – hormônio produzido pela tireoide que estimula o tônus muscular e favorece o movimento peristáltico. Afinal, trata-se de uma de uma deficiência periférica celular.

Os baixos níveis de T3 podem ser considerados um dos principais fatores responsáveis pela hipotonia (redução ou perda do tono muscular).

Portanto, os medicamentos laxantes em nada contribuem para tratar com eficácia a constipação. Muito pelo contrário.

O uso de laxativos em excesso é que pode gerar um DESEQUILÍBRIO na produção de hormônios.

Qual seria a SOLUÇÃO?

Cada paciente deve ser avaliado de forma individual. O mau funcionamento do intestino pode estar atrelado a diferentes patologias.

No geral, a ingestão de água, uma alimentação natural e a prática regular de exercícios físicos ajudam a preservar a saúde intestinal.

A eventual reposição de melatonina pode ser de grande ajuda quando recomendada por um médico especialista no assunto. Jamais utilize quaisquer tipos de hormônios sem indicação.

Espero que este artigo esclareça sobre as reais causas da constipação, a ação dos laxantes e por que não resolvem problema algum.

Até a próxima!

Deixe uma resposta