Andropausa: tudo sobre o declínio hormonal masculino

Assim como as mulheres, o homem também passa a sofrer de um declínio hormonal com o passar do tempo. Após os 40 anos, é comum que os níveis de testosterona do corpo vão diminuindo, num processo conhecido como Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino (DAEM), a popular andropausa.

Esse declínio natural de hormônios é um processo natural resultante do envelhecimento de suas células, que causam diversas alterações em seu corpo.

Porém, diferente das mulheres que após os 50 anos costumam ter uma parada de sua função reprodutiva e declínio de sua função hormonal, nos homens essas mudanças são mais lentas, com sintomas mais brandos.

Quer compreender um pouco mais sobre o que é o declínio hormonal masculino, e quais os sintomas que o caracterizam? Leia este artigo até o final.

O declínio hormonal

A testosterona é o hormônio masculino ligado diretamente ao sistema reprodutivo e é produzido em células localizadas nos testículos. A partir dos 40 anos, este principal hormônio andrógeno masculino entra uma fase de declínio, caindo a uma taxa de 1% ao ano.

O termo andropausa, que procura caracterizar essa mudança hormonal, é também conhecida como Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino.

Além da redução da função reprodutiva e do declínio da função hormonal, a partir dos 40 anos os homens passam a estar mais suscetíveis a doenças como câncer e doenças vasculares, por isso tornar-se essencial o acompanhamento de um médico urologista, que saberá dar o melhor diagnóstico e indicar qual o tratamento ideal para essas condições.

Sintomas da andropausa

O déficit hormonal causa diversos sintomas, que se sobrepõem ao envelhecimento natural masculino. Por conta disso, é mais difícil diagnosticar a andropausa, podendo ela ser facilmente confundida com outra doença.

Porém, a queda hormonal nos homens costumam causar a diminuição da libido — que é o desejo sexual —, a disfunção erétil, aumento do peso, perda de massa óssea e osteoporose, perda da massa muscular, anemia, irritabilidade, queda de cabelo e, em casos mais extremos, até mesmo a depressão.

Por isso, é recomendado que o homem que suspeita que possa estar entrando na andropausa procure um urologista. Somente o médico poderá fazer uma avaliação completa e, com o auxílio de exames complementares, dar o diagnóstico correto e as opções de tratamento.

É importante que o homem tenha em mente que o processo de envelhecimento é natural e que não pode ser evitado, porém manter hábitos de vida saudável contribui para a prevenção de doenças relacionadas à queda do nível de testosterona no corpo.

Por isso, a reposição hormonal com testosterona é eficaz e segura para homens que entram na andropausa. Ela pode ser feita de forma injetável ou com aplicações diárias em geral. Além disso, é necessário o acompanhamento médico para verificação do tratamento, sua eficácia e eventual correção das doses.

Com um tratamento correto, somado medidas que melhorem a qualidade de vida do homem, como a prática de atividades físicas, uma alimentação balanceada e uma vida regrada, podem garantir que o homem conviva com a andropausa de forma harmônica.

Eu espero que este artigo ajude você a entender sobre o declínio hormonal masculino.

Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do YouTube.

Até a próxima!

Fechar Menu