Açúcar: droga ou alimento? Por que precisamos levantar esse debate

De aparência inocente e efeitos perigosos, o açúcar precisa ser debatido. Principalmente por estar presente em boa parte dos itens da alimentação moderna, de crianças e de adultos, de forma muito acessível.

A verdade é que boa parte da população está viciada em açúcar. Muitos nem sabem, outros sabem mas não admitem. Independente disso, classificar o açúcar como ingrediente alimentar em vez de um poderoso agente químico está custando caro à saúde de todos.

O fácil acesso em uma prateleira de supermercado, além de ser socialmente aceito consumir muitos doces, desvia nosso foco de uma necessária reflexão sobre o hábito de consumir açúcar.

Para você entender por que o açúcar está no patamar de uma droga, leia este artigo até o final. Vou apresentar um estudo muito preocupante que vai te fazer repensar o consumo do açúcar.

O estudo e seu resultado alarmante

Um famoso estudo realizado na Universidade de Princeton com ratos do sexo masculino mostrou o que acontece com o corpo e com a mente quando somos expostos a uma grande quantidade de açúcar.

Após consumir altas doses da substância, os ratos pararam de receber açúcar por um tempo. E o resultado? Desenvolveram um comportamento de intenso desejo (craving) e, logo em seguida, recaída.

Esse é um sintoma bem parecido com a abstinência de drogas pesadas tais quais a cocaína.

O pior de tudo é que os efeitos do açúcar no cérebro são bastante similares aos da cocaína. Seu consumo faz que o cérebro atinja picos de dopamina, um hormônio responsável pela sensação de bem-estar.

No entanto, quando o consumo é diário e frequente, a produção da dopamina pelo organismo cai. Assim, é preciso consumir ainda mais açúcar para manter seus níveis elevados – assim como ocorre com a cocaína.

Leia também: Médicos ou prescritores: qual nosso papel na medicina?

A reabilitação: um processo necessário

Se você ama açúcar, já tentou ficar sem e não conseguiu, provavelmente não ficou surpreso com o resultado do estudo. No entanto, reduzir drasticamente as doses consumidas é urgente. Se possível, retirar de uma vez do cotidiano.

Em um país onde o próprio Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor – Idec alerta para o alto consumo de açúcar (o Brasil é o 4º maior consumidor de açúcar do mundo), é inegável a necessidade de uma revisão de hábitos.

Na minha opinião, como médico e ser humano, está prestes a chegar o dia que a sociedade ocidental vai olhar para os dias de hoje e reconhecer o grande erro que foi tratar o açúcar como mero ingrediente alimentar.

Espero que você seja capaz de repensar seus hábitos com relação ao açúcar a partir do que te foi revelado por meio deste artigo.

Até a próxima!

Dr. Ítalo Rachid

Recolher >>