11698527_492959964196613_5897415555566875791_nEstudo relaciona refrigerantes e sucos artificiais açucarados a mortes | Parte 2: Estudo Brasileiro sobre o tema

Outro trabalho mostrando os malefícios do consumo frequente de bebidas industrializadas açucaradas foi realizado no Brasil, porém o público-alvo analisado foi formado por crianças e adolescentes. O professor e doutor Rubens Feferbaum, pediatra e nutrólogo, professor livre-docente em pediatria na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e Luiz Carlos de Abreu, do Departamento de Saúde Materno-Infantil da Faculdade de Saúde Pública da USP, analisaram os reflexos do aumento do consumo de refrigerantes, sucos de caixinha e outras bebidas altamente calóricas entre crianças e adolescentes.

Denominado Padrões de Ingestão de Fluidos: Um Estudo Epidemiológico de Crianças e Adolescentes no Brasil, o trabalho foi publicado na revista BMC Public Health. Os pesquisadores acompanharam 831 pacientes, entre meninos e meninas, com idades entre 3 e 17 anos, moradores das cidades de Belo Horizonte, São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro e Recife, para avaliar a evolução do consumo dessas bebidas ao longo dos anos.

Os pesquisadores perceberam que, conforme as crianças iam crescendo, o consumo de leite foi sendo reduzido, dando lugar ao aumento da ingestão de sucos e refrigerantes. Os resultados mostraram que, entre os adolescentes de 11 e 17 anos, a maior parte das calorias consumidas vem de refrigerantes ou sucos de caixinha, que representaram uma média diária de 207 quilocalorias (kcal). Bebidas açucaradas ficam em segundo lugar, com índices entre 37% e 45% de calorias, nos grupos de 3 a 6 anos e de 7 a 10 anos, respectivamente.
——
Confira essa e outras matérias completas acessando o link:
http://revista.longevidadesaudavel.com.br/