11745468_494453524047257_9103721298938065291_nBeterraba ajuda a aumentar produção de óxido nítrico no organismo

O óxido nítrico (NO, do inglês nitric oxide) é uma das menores e mais versáteis moléculas encontradasno corpo humano. Sua importância pode ser observada mesmo antes do nascimento, pois está envolvida no controle da circulação placentária e na regulação das contrações uterinas durante o trabalho de parto. Esse gás, produzido pelos vasos sanguíneos do corpo, está envolvido no mecanismo que controla a memória tardia e no sistema cardiovascular. Na verdade, o NO desempenha um papel fundamental na regulação de diversas funções biológicas vitais. E a baixa produção no organismo pode ser a resposta para o aumento da incidência de algumas das doenças crônicas, como já demonstraram vários estudos.

O problema é que, com o passar do tempo, a produção da molécula de gás no corpo decai, principalmente depois dos 40 anos de idade, quando a produção reduz rapidamente. Todavia, a boa notícia é que incorporar certos alimentos, como a beterraba e a couve, na dieta pode ajudar a aumentar a produção do óxido nítrico no organismo. Vale lembrar que uma dieta rica em frutas e vegetais está associada a menor pressão arterial e a redução do risco de eventos cardiovasculares.

Estudo de pesquisadores ingleses, publicado recentemente, no periódico Hypertension, da American Heart Association, mostrou que a ingestão de suco de beterraba, rico em nitrito/nitrato, pode reduzir a pressão arterial sistólica e diastólica, em média, em 10 milímetros de mercúrio (mmHg), mesmo depois que os níveis de nitrato contidos no suco e ingeridos voltam ao normal no sangue. Segundo os cientistas, comandados pelo professor doutor Andrew Webb, os efeitos mais acentuados ocorreram entre três e seis horas após a ingestão do suco, mas ainda havia redução até 24 horas depois.

Webb, que é professor de Farmacologia Clínica Cardiovascular da King´s College London, diz que a ingestão do suco de beterraba também impediu a disfunção endotelial após reperfusão por isquemia (sem alterar a dilatação da artéria pré-isquemia). “O nitrato na dieta pode reduzir os riscos cardiovasculares. Por ser um procedimento de baixo custo e natural, é uma grande vantagem frente à abordagem terapêutica com o uso de vários medicamentos”, explica no artigo publicado. Vale ressaltar que os cientistas demonstraram que a
diminuição da pressão sanguínea ocorreu devido à formação química
de nitritos a partir dos nitratos presentes no suco, que são convertidos na saliva em nitritos, por meio de bactérias presentes na língua. O período de tempo de maior redução da pressão está correlacionado com a presença e níveis mais elevados de nitritos
na circulação.

——

Confira essa e outras matérias completas acessando o link:
http://revista.longevidadesaudavel.com.br/