11811555_500649130094363_8535795673183314341_nBenefícios do licopeno | Parte 2: O que são substâncias antioxidantes?

A etiologia da doença cardiovascular está relacionada com estresse oxidativo, processo inflamatório, disfunção endotelial e subsequente remodelamento vascular. Muito se tem falado sobre o papel que o licopeno possui na diminuição do estresse oxidativo, em particular na prevenção da oxidação da LDL colesterol.

Partículas oxidadas de LDL disparam uma série de eventos que conduzem a processos inflamatórios, formação de células espumosas, estrias gordurosas e placa, lesões ateroscleróticas e ruptura de placa. Além disso, partículas de LDL oxidadas prejudicam a função endotelial pela inibição da liberação de óxido nítrico, um importante relaxante dos vasos sanguíneos, o que influencia a pressão arterial.

Como o licopeno é transportado principalmente nas lipoproteínas de baixa densidade, acredita-se que haja a proteção contra a oxidação do LDL. O licopeno pode ter efeito inibindo a síntese de colesterol, que pode melhorar a degradação do LDL. Alguns, mas não todos os estudos com intervenção dietética envolvendo alimentos com licopeno ou a suplementação de licopeno, têm mostrado potencial na melhora em curto prazo na oxidação do LDL.

Além de suas propriedades antioxidantes, o licopeno parece reduzir os níveis de colesterol, por meio de supressão da síntese de colesterol, aumento da degradação da LDL e inibição da enzima hidroximetilglutaril coenzima A (HMGCoA) redutase, enzima que catalisa um passo precoce e limitante na biossíntese do colesterol. Acredita-se que a alta ingestão de licopeno (e alimentos-fonte de licopeno) esteja associada à diminuição no risco de aterosclerose e doenças cardiovasculares, além dos seus efeitos antioxidantes, e à diminuição da oxidação da LDL, por seu efeito na função imune, possivelmente por causa de sua habilidade de modular o ambiente celular redox, as interações célula a célula e/ou regular fatores de transcrição anti-inflamatórios, como o receptor ativado por proliferadores de peroxissomas ? (PPAR?).

Além disso, pode provocar a inibição de citocinas inflamatórias e moléculas de adesão celular, através da inibição da ativação do NF-?B. Estudos mostram que o licopeno, enquanto ligante de PPAR ?, pode reduzir a liberação de citocinas inflamatórias dos macrófagos e do tecido adiposo, resultando em efeito antiaterogênico.

——

Confira essa e outras matérias completas acessando o link:
http://revista.longevidadesaudavel.com.br/